Calça Jeans


O quanto você sabe ou já parou para pensar na história e curiosidades dessa roupa tão essencial, prática e democrática? Aprofundamos na história e curiosidades do jeans clássico, indo até bons destaques de suas infinitas releituras. Uma peça que, ao contrário da maioria das roupas, nasceu na base da hierarquia social até chegar nas passarelas, em 1976, com o estilista Calvin Klein. Destacamos também sua pegada hídrica, ponto essencial que confirma ainda mais o quanto o reuso desse clássico tem a beneficiar. Afinal, a beleza de um bom jeans é que ele só melhora com o tempo.


O tecido jeans surgiu em 1792 em Nimes, na França. Foi, na verdade, uma descoberta acidental desse século 18, quando os franceses tentaram reproduzir um tecido italiano resistente, a sarja. O que eles criaram foi a "sarja de Nimes" - "serge de Nimes" - ou, como foi abreviado, "denim".


Ao longo dos últimos dois séculos o icônico jeans foi adotado por mineiros, cowboys, lendas de Hollywood, rebeldes da contracultura, estrelas do rock e da alta moda. E como surgiram as calças?


Nos EUA, em 1850, o denim chegou para produzir lonas. Na Califórnia, em plena corrida do ouro, o alemão Oscar Levi Strauss percebeu que as roupas dos mineiros não eram adequadas para o trabalho. Levou então a um alfaiate que fez umas calças com esse tecido, que ele mesmo vendia para cobrir as carroças dos mineiros. O sucesso foi imediato, já que era extremamente resistente.


Com o passar do tempo foi chamada de five pockets (cinco bolsos), três na frente e dois atrás, uma referência à pioneira 501 americana da Levi's, que se tornaria a mais tradicional no segmento de jeans. Inclusive, essa peça mais antiga que se tem notícia foi encontrada em uma mina no Deserto de Mojave, na Califórnia, EUA, por volta de 1890.


Ou seja, ao contrário da maioria das roupas o jeans nasceu na base da hierarquia social. Símbolo de rebeldia e ruptura, era usado pelos jovens nos anos 1950 que ouviam rock e se inspiravam em James Dean e Elvis Presley, e em seus estilos de vida revolucionários para a época. Daqui a pouco o jeans foi chegando ao mercado de luxo, sendo Calvin Klein o estilista que o estreou nas passarelas, em 1976.


Ainda hoje, e além, simplificando e potencializando armários, rotinas, para todos. Da leveza do básico às infinitas combinações, detalhes, estilos.


Como chegamos a um mundo onde você não pode sair sem ver alguém usando jeans? - Racked

A evolução da indústria têxtil e da moda permitiu ao denim receber lavagens, tingimentos, resinas e texturizações. O jeans ganhou outra conotação quando, dentro de sua composição, foi adicionado o elastano, dando o caimento perfeito tão desejado pelas mulheres. Depois, houve a inclusão do algodão com poliéster e elastano, adicionando ao jeans o brilho da fibra artificial e o conforto da fibra elástica.


Um ponto relevante em sua produção diz respeito à sua pegada hídrica: você sabe quantos litros de água são consumidos durante o ciclo de vida de uma calça jeans? 5.196, do plantio do algodão ao descarte da peça pelo consumidor final. A fase do plantio é onde está a maior parte dessa pegada hídrica: 4.247.


O Brasil é, hoje, o quarto maior produtor e consumidor de jeans no mundo.



Confira muito mais, em riqueza de detalhes, o fascinante universo desse clássico. Um vislumbre de como era o jeans no ano em que você nasceu. Uma interessantíssima linha do tempo que mostra como a peça foi evoluindo em suas releituras, desde o modelo tradicional, e como praticamente um mix de todas elas seguem revivendo nos dias atuais.

Essa galeria de fotos enriquece a linha do tempo do jeans.


"Eu gostaria de ter inventado o jeans. Eles têm expressão, modéstia, sex appeal, simplicidade, tudo o que eu espero para as minhas roupas." - Yves Saint Laurent



Fontes: Vice / Racked / Projeto Pegada Hídrica - Vicunha

  • Instagram
  • Pinterest
  • Preto Ícone Spotify

 © 2020